FMM dispõe de acessibilidade para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida

O maior projeto social de educação do Norte do Brasil também se mostra como uma instituição inclusiva e acessível para alunos, responsáveis e colaboradores com deficiência e mobilidade reduzida, por meio de uma infraestrutura adaptada e profissionais capacitados.

Prova disso foi que no último sábado, (09) no início das aulas do projeto Preparar FMM 2019, um pai com deficiência auditiva foi informado e orientado em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). O responsável acompanhava o filho e pôde esclarecer dúvidas sobre os horários, rotinas e regras do aluno do preparatório em conversa com a Coordenadora Pedagógica Luana Louise. Para a Pedagoga, dominar a linguagem de sinais é indispensável para qualquer profissional da área da educação. “O profissional da Educação é formado não apenas para dar aula, mas também pra suprir as necessidades da sociedade. Os processos de compreensão de deficientes auditivos são outros e, em uma escola, nós precisamos de profissionais capacitadas para atender essas pessoas. Eu tenho o nível intermediário (de libras), mas depois de atender aquele responsável, eu senti a necessidade de estudar mais”, afirmou.

Além de colaboradores com domínio em libras, a FMM também dispõe de espaços amplos, planejados e acessíveis como rampas de acesso com corrimão, ambulatório com cadeiras de roda e muletas, vagas para idosos e gestantes, elevadores, auditório com vagas para cadeirantes e lactantes, saídas de emergência, piso tátil e banheiros acessíveis, previstos nas Normas Técnicas Brasileiras da ABNT NBR 9050 e a Lei 10.098/2000 (Lei de Acessibilidade). Conceição Lima Araújo, Técnica de Segurança do trabalho da FMM, explica que a infraestrutura busca atender as necessidades de todos os estudantes, responsáveis e visitantes, por meio de profissionais da Brigada de Emergência que também são preparados para atender pessoas com deficiência. “Quando formamos a Brigada de Emergência, dividimos em grupos e, nessa divisão, verificamos alunos, colaboradores ou visitantes com mobilidade reduzida e damos atenção especial se necessário. A equipe da Brigada é preparada através de reuniões, palestras e treinamentos para guiar essas pessoas”, afirmou, ressaltando também o preparo da equipe para situações em que a utilização da energia elétrica é proibida, como em um princípio de incêndio.

A técnica acrescenta, ainda, que o trabalho de acolhida realizado com PCD’S é um dos diferenciais da FMM, pois envolve todos os colaboradores e estudantes da instituição. “Mesmo quem não é da Brigada é capaz de ajudar se necessário, a acessibilidade é fruto de um trabalho em equipe. Os estudantes também são conscientizados a ajudar e a preservar os materiais de emergência e de acessibilidade, afinal eles também são responsáveis por essa estrutura”, concluiu.

A Fundação Matias Machline é um projeto beneficente com sede na Av. Ministro Mário Andreazza – Distrito Industrial de Manaus, que há quase 33 anos proporciona Ensino Médio Técnico de excelência para jovens em vulnerabilidade social, estabelecendo, através do humanitarismo, a educação como principal elemento de transformação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

.